(12)99116-3239

NO AR

JPB Estúdio Mix

jpbestudiomix.com

Brasil

OPINIÃO - DECORAÇÃO DE NATAL DE TAUBATÉ - A ARTE DO MAU GOSTO

Prefeitura gasta com empresa de fora o dinheiro que poderia contratar artistas da própria cidade

Publicada em 15/12/23 às 15:45h - 220 visualizações

por JPB Estúdio Mix


Compartilhe
 

Link da Notícia:

R$ 900 mil para uma decoração natalina de mau gosto  (Foto: JPB Estúdio Mix)
Isso é uma árvore de natal?

Se um turista chegasse em Taubaté e visse a decoração natalina, e um taubateano ufanista da cidade, que tinha uma grávida que gerou uma imensa bola de plástico, dissesse a ele que se gastou apenas quase R$ 900 mil reais nessa maravilhosa obra que deve durar menos de um mês, ele de fato diria em resposta - é, é uma decoração de Taubaté.

Boneco de neve no verão?

Fica a pergunta - porquê se gastar R$ 900 mil reais em uma decoração natalina com artefatos de metalon e fibra de vidro e cordões de luz presos em postes, árvores e nas estruturas metálicas? Diria um cidadão menos afoito que a contratação de uma empresa para fazer a decoração é necessária porque Taubaté não tem condições de fazer isso por iniciativa própria, por não ter artistas para criar o ambiente natalino em suas praças. Só que não!

Papai Noel de plástico

ANIVERSÁRIO DA CIDADE, NATAL E O COMÉRCIO DO CENTRO.
O prefeito de Taubaté, José Antonio Saud Júnior, que é um empresário do comércio taubateano, acabou com o feriado da data de elevação de Taubaté à categoria de vila, em 5 de dezembro de 1645, projeto de lei de outro ex-prefeito Roberto Peixoto. A alegação era de que um feriado em dezembro atrapalharia os ganhos do comércio local, fazendo com que os taubateanos viajassem e gastassem seus reais em outras cidades. Mesmo voltando a ser uma data normal, a prefeitura gastou cerca de R$ 2 milhões com as comemorações dos 378 anos da cidade, trazendo para a cidade artistas, que de certa forma hoje não estão no auge de suas carreiras, para fazer shows no SEDES.

Parece que veio de muito longe

No velho estilo romano do “Panem et Circenses”, a prefeitura que acumula dívidas com seus fornecedores, que supostamente já soma mais de R$ 100 milhões até o final do ano, resolveu bancar uma farra com o dinheiro do contribuinte, talvez quem sabe tentando minorar o sofrimento dos munícipes nas filas dos Pamos à espera de consultas e exames, e melhorar o cenário da cidade que está sucateado e com manutenção precária. Dizem os “entendidos” que a visão do belo refestela a alma.

Merry Christmas - Estamos nos Estados Unidos

A comemoração da data máxima da cristandade de todas as religiões ocidentais aqui em Taubaté nada tem a ver com o nascimento do Salvador da humanidade. O intuito da gastança de dinheiro nessa decoração de mau gosto é apenas turbinar as vendas do comércio local, notadamente na região do Calçadão da Praça Dom Epaminondas. E aí fica um reparo importante - a oferta de produtos, marcas e serviços do comércio taubateano não vai além do trivial, e, em sendo assim, o consumidor vai buscar outras instâncias para gastar seu suado dinheirinho, seja na vizinha cidade de São José dos Campos ou fazer compras online pela Internet no conforto de sua casa, sem enfrentar a muvuca de lojas lotadas, recebendo sua compra na própria residência.

Os figureiros de Taubaté já fizeram muito melhor

BUSCAR LÁ FORA PAGANDO CARO O QUE SE TEM EM ABUNDÂNCIA EM TAUBATÉ
Supondo-se que Taubaté fosse uma cidade sem recursos artísticos, sem mão-de-obra especializada em eventos, sem a possibilidade de fazer uma decoração festiva nos espaços públicos que os cidadãos frequentam, então seria natural e aceitável contratar uma empresa para decorar ruas e praças.

Só que não!

Taubaté tem uma escola de arte - a Escola Municipal de Artes Maestro Fêgo Camargo - com ensino profissionalizante direcionado aos cursos de Artes Visuais, Dança, Instrumento Musical, Canto e Teatro, formando profissionais das Artes Plásticas (artes visuais), cantores e músicos, bailarinos e atores de teatro. Taubaté tem a Casa do Figureiro Maria da Conceição Frutuoso Barbosa - de renome internacional, com obras artísticas espalhadas pela Europa e Estados Unidos - que mantém uma tradição secular de criação e produção de estátuas e figuras moldadas a partir do barro, atividade que tornou famosa a Rua Imaculada, cantada até em músicas. Taubaté ainda tem artistas que esculpem em madeira - os famosos carapinas - e fazem qualquer tipo de escultura, sendo que em anos passados a cidade expunha esses trabalhos em tamanho natural e colossal em muitas ruas da cidade. Lembrando ainda que todas as estátuas de metal, concreto e resina sintética que existem em muitos logradouros da cidade são obras de taubateanos ou de artistas que moram em Taubaté.

R$ 900 mil para colocar luzinhas nas árvores

A prefeitura olvidou a “prata da casa”, deixando os recursos excepcionais que Taubaté tem na sua cultura para “comprar” obras de fora, pagando uma verdadeira “baba” por estruturas metálicas básicas e um monte de “luzinhas” que podem ser compradas até no comércio taubateano. Tudo isso com a justificativa consumista de faturar alto nas festas de dezembro.

Qualquer coincidência é mera semelhança

PINGUIM DE MADAGASCAR
Não tem como não classificar a decoração natalina “comprada” pela prefeitura de Taubaté como de absoluto mau gosto. Num país tropical como o Brasil, rico em tradições culturais autênticas do seu próprio povo, com a atual crise climática com temperaturas médias acima dos 30 graus, usar elementos e tradições culturais de países que nessa época impera um inverno rigoroso, é no mínimo uma imbecilidade. É uma chacota de mau gosto colocar nas ruas pinguins, ursos polares e um velhinho vestido com grossas roupas de feltro e lã. Estruturas grotescas de ferro, substituindo figuras naturais, com luminárias que representam flocos de neve e pinheiros de zonas temperadas. Não tem como deixar de ver o nível de aculturação estrangeira que acomete a cabeça de nossos mandatários, expondo um nível cultural raso e pouco conhecimento sobre o que realmente representa o Natal e a empatia pelo ser humano. Depreende-se que pela iniciativa tomada de gastar tanto dinheiro em menos de 30 dias só poderia vir da cabeça de um “comerciante de lojinha”, apenas preocupado com a filosofia do “ter”, a máxima do capitalismo. em detrimento da filosofia do “ser”, que exalta a empatia e a consideração pelo próximo. É o imediatismo que suplanta a visão de longo alcance, o populismo político que visa apenas benefício pessoal, prejudicando o futuro de uma cidade que poderia ser pujante, como já foi em outras eras. Se o taubateano conhecesse de fato sua história iria reconhecer pessoas como Félix Guisard, que além de colocar Taubaté na era industrial, ainda como político pensou no bem estar da população, deixando obras e serviços que ainda hoje, depois de 81 anos ainda se vê pela cidade.

Onde fica a empatia?

O QUE DEVERIA SER FEITO
Se realmente a prefeitura de Taubaté estivesse preocupada com o aumento dos ganhos financeiros para a cidade, não teria expatriado R$ 900 mil ao contratar uma empresa de fora para realizar o evento natalino, muito menos gastar mais de R$ 2 milhões com artistas de fora. Contrataria a “prata da casa”, mantendo esses quase R$ 3 milhões dentro de Taubaté. Escalaria os artesãos, os artistas plásticos, os escultores de Taubaté para produzir a decoração temática baseada em nossos padrões culturais, sendo uma atração que naturalmente turbinaria também o turismo, trazendo pessoas de fora para ver e gastar na cidade. Mostraria sua riqueza cultural fazendo eventos artísticos em vários pontos da cidade com apresentações dos cantores e músicos populares e eruditos, fazendo récitas e cantatas com a Orquestra Sinfônica Jovem de Taubaté, a banda Sinfônica de Taubaté, Coral Municipal de Taubaté, apresentações do Balé da cidade de Taubaté, remunerando todos os artistas de maneira profissional, impulsionando a formação de plateia e prestigiando esses artistas. Com os recursos próprios da prefeitura, usando a FAC e as oficinas de manutenção poderiam ser produzidos todos os artefatos artísticos, usando materiais naturais ou reciclados para o embelezamento dos logradouros.

Para isso, e com uma economicidade evidente, Taubaté teria um evento natalino de primeiro mundo, com a criatividade que é peculiar a nossa “prata da casa”, investindo em nossa gente e criando uma tradição artística e cultural à altura de uma cidade que pensa em sua gente e seu futuro. Está na hora do taubateano escolher melhor seus representantes políticos. Como já dizia o aforismo romano - “Se você não gosta de política, será governado por quem gosta”



ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

3 comentários


Junior Batson

26/12/2023 - 15:47:21

Dizem que sapo de fora não chia, mas, mesmo à distância (moro em São Paulo) vi nesse ano a cidade de Tremembé dar um baile em Taubaté! Pelo que vi, teve uma decoração natalina que virou um evento grande, a ponto de as pessoas se deslocarem de Taubatédio e irem visitar a vizinha-irmã, e, consequentemente, gastar seus preciosos Reais em outro município. Que esse baile sirva de exemplo e de lição! Pessoal do site, parabéns pelo trabalho! Vou passar a acompanhar desde já!


Leandra

19/12/2023 - 11:25:53

Sou a favor de usar os artesanatos da escola do trabalho com professores capacitadissimo,usa os artesanatos das Figueiras ,nossa Taubaté é linda com diversidade de pessoas q vive de fazer arte .Poderiam usar os reciclados como trabalho de escola e no final de ano usá-los .Certamente a população sairia de casa só pra prestigiar nossa cultura .


Marcos da GP

19/12/2023 - 05:35:38

Sou a favor de decorar nossa Taubaté para o natal mais decoração com preço justo não esse sucata que está aí na praça e infeiando nossa cidade .


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








.

____________________________________________________________________________________________________

(12) 99116-3239

Visitas: 3314
Usuários Online: 4
Copyright (c) 2024 - JPB Estúdio Mix
Converse conosco pelo Whatsapp!